Menu principal
 
Espécies
Localizações
Referências
Mapas
 
Carta Piscícola Nacional

Squalius alburnoides

Nome científico
(valido)

(outros)
Squalius alburnoides      

Leuciscus alburnoides
Rutilus alburnoides
Tropidophoxinellus alburnoides
Família Cyprinidae
Autor, data (Steindachner, 1866)
Nomes comums Bordalo
Distribuição Global Endémica da Peninsula Ibérica.    (346)
Morfologia Espécie de pequenas dimensões com corpo comprimido e estreito, perfil da cabeça rectilíneo e perfil ventral convexo e ascendente. Boca é terminal sem barbilhos, com maxilar inferior bem desenvolvido. A comissura bocal é grande e obliqua, olhos grandes. Linha lateral completa com inclinação na parte inicial com 38 a 44 escamas. Origem da barbatana dorsal posterior à linha vertical da inserção posterior das barbatana pélvicas.    (346)
Coloração Não existe informação.    (346)
Nativa Sim
Migrador anádromo Não
Migrador catádromo Não
Longevidade 6 (fêmeas triploides); 5 (fêmeas diploides); 4 (machos diploides)       (167, 144)
Tamanho máximo (cm) 13.3 CT          (167, 144, 44)
Maturação sexual machos 2 (33 mm)       (167, 144)
Maturação sexual fêmeas 2 (44 mm)       (167, 144)
Época de reprodução Março-Julho       (167, 144)
Nº médio de ovos por fêmea Guadalquivir: 1300 (80 mm); Guadiana: 150-160 (60 TL mm); Ardila 400-450 (70 TL mm)          (167, 144, 131)
Habitat geral O bordalo vive em rios com corrente e maior granulometria do substrato, de reduzida largura e profundidade e com abundância de macrófitas emergentes. Habitando em zonas de correnteza, estando associado a rios com solos ácidos e a zonas não poluídas. Ocorrem em zonas com 0,3 a 0,7m de profundidade, correntes nulas ou reduzidas em substratos finos designadamente vasa. Existe segregação espacial entre diferentes formas. Machos diplóides são mais abundantes em zonas de pequena profundidade, temperaturas mais elevadas , substrato de vasa ou areia. Fêmeas triplóides ocorrem em zonas de maior velocidade, elevado coberto vegetal.                (315, 115, 152, 103, 65)
Habitat de reprodução O bordalo realiza a postura em zonas de cascalho com corrente.    (677)
Alimentação Esta espécie alimenta-se principalmente de insectos aquáticos (insectívora) ingerindo também outras presas. As larvas de dípteros (quiromnídeos e simulídeos), de efemerópteros, coleópteros adultos, corixídeos, gastrópodes, ostrácodes, nemátodes, sementes, material vegetal e areia são presas comuns do bordalo. Ocasionalmente consome gémulas de spongilidae e estatoblastos de ectoprocta. Existem diferenças entre as diferentes formas desta espécie, os machos diplóides são mais especialistas enquanto que as fêmeas diplóides alimentam-se de uma maior diversidade de presas.          (414, 9, 129)
Curiosidades O bordalo tem formas diploides e triploides e mais raramente tetraploides. Na Natureza dominam as fêmeas triploides, havendo no rio Guadiana mais fêmeas do que machos. Durante a época de reprodução o macho faz corte à fêmea através da agitação das barbatanas dorsais e peitorais, mostram o abdómen à fêmea colocando a cabeça numa posição mais baixa. As fêmeas preferem os machos "não-hibridos" que geralmente são mais pequenos. O ancestral paterno desta espécie não pertencia nem ao género Squalius nem ao género Chondrostoma.          (103, 681, 677)
Tamanho mínimo de captura 0
Período de pesca Todo o ano
LV 2005 Vulnerável    (653)
LV ES VU
CITES sem
IUCN sem
Berna III
Directiva Habitats II
Factores de ameaça Introdução de exóticas piscívoras. Construção de infraestruturas hidráulicas sem passagem para peixes. Aumento da poluição industrial, urbana e agrícola. Extracção de água. Extracção de inertes provocam a destruição das zonas de postura.          (248, 200, 129)
Medidas mitigadoras Controlo e tratamento de efluentes, corrigir os impactos derivados das obras hidráulicas. Não dar concessões de rega quando o nivel das águas fôr muito baixo. Corrigir o impacto das extracções de inertes. Controlo das espécies exóticas. Controlar a evolução das populações desta espécie.       (248, 200)
Mostrar localizações
Referências principais
Gomes-Ferreira, A., Ribeiro, F., Costa, L.M., Cowx, I.G. & M.J. Collares-Pereira
(2004)
Variability in diet and foraging behaviour between sexes and ploidy forms of the hybridogenetic Squalius alburnoides complex (Cyprinidae) in the Guadiana River basin, Portugal [Mais info]
Ribeiro, F., Cowx, I.G., Tiago, P., Filipe, A.F., Costa, L.M. & M.J. Collares-Pereira
(2003)
Growth and reproductive traits of diploid and triploid forms of the Squalius alburnoides cyprinid complex in a tributary of the Guadiana River, Portugal [Mais info]



Desenvolvido por  Fluviatilis yellowcat     ©Copyright